Enxame #6








Giulia Puntel



Editorial

Elisa Alvarenga

A XXII Jornada da EBP-MG se aproxima: em menos de dez dias estaremos reunidos conversando sobre “O inconsciente e o mestre contemporâneo: o que pode a transferência?”
O programa das plenárias já foi divulgado e as mesas simultâneas prometem: recebemos 72 trabalhos, cuja alta qualidade tornou difícil sua seleção. Contamos com todos os colegas que endereçaram seus trabalhos à Jornada para trazerem suas contribuições e questões para o debate.
Ler mais...










 Giulia Puntel



“Interpretação: a heresia do analista”

Sérgio Laia


Em sua proposta do quinto eixo de trabalho para a XXII Jornada da Seção Minas Gerais da Escola Brasileira de Psicanálise (EBP-MG), designado como “Interpretação: a heresia do analista”, Souto (2018) se vale de um termo – heresia – que, no dia 13 de maio do ano passado, foi destacado por Miller (2017a) em suas proposições sobre a política da psicanálise em Madrid. De imediato, esse termo, como o próprio Miller (2017 [2018], p. 36) disse dois meses depois em Turim, tornou-se “um fenômeno de moda no Campo Freudiano”. Por isso, após Miller (2017b) pronunciar, nessa cidade italiana, o “Elogio dos heréticos”, ele decide também, em uma segunda conferência (Miller 2017 [2018]), ser herético falando de “ortodoxia” que, bem sabemos, no sentido comum e generalizado, é justamente o oposto da heresia.
 Ler mais...






Giulia Puntel





O Trans-humano: Après le humain qui vient?
                                           
Sérgio de Mattos

Em que termos é possível pensar uma Trans-humanidade?
Desde a perspectiva da psicanálise, o humano se caracteriza por ser o vivente no qual os efeitos da linguagem interferem, perturbam a homeostase dos programas biológicos e dominam sua vida e especialmente sua vida sexual. Mais um passo e podemos dizer com Lacan que o humano é o vivente atrapalhado pela sexualidade, o vivente que goza mal.
Podemos pensar que todos os esforços da ciência e tecnologia seriam modos de consertar esse “defeito de nascença”, o defeito da incômoda relação das palavras com o corpo? Se aceitarmos essa tese, é possível que esse empreendimento tenha surgido vinculado à nossa tradição judaico-cristã, em que Deus, desde Genesis deixa ao homem a tarefa de dominar a natureza. Também não foi sem consequências para o destino do projeto ocidental e a ciência a ideia de um corpo glorioso existente antes do pecado original e a da transfiguração.
Ler mais...







Giulia Puntel

 
Heresia

Maria Josefina Sota Fuentes

            Nas notas dos Anexos do Seminário 23, J.-A. Miller alude ao emprego que Lacan faz da palavra latina haeresis logo na primeira lição do seu Seminário. Ali, Lacan menciona que Joyce, assim como ele próprio, fizeram uma escolha e por isto são “heréticos de uma boa maneira”.


            O termo em latim que se traduz em francês por héresie é homofônico à pronúncia francesa das letras RSI, evocando a marca central do ensino de Lacan: a invenção dos três registros, Real, Simbólico e Imaginário, título do Seminário 22. Neste Lacan explora distintos modos de sustentação da estrutura da realidade humana, isto é, de mantê-los enlaçados. Elucida, por fim, que a amarração dita “normal”, ortodoxa, baseada na crença do Nome-do-Pai, não é senão um regime particular do que chamou de sinthoma, ao tomar não mais a neurose, mas a via de Joyce, o herético por excelência na história da literatura, como paradigmática. Marca da mudança no próprio ensino de Lacan, uma vez que não há a priori a medida da normalidade que manteria os três registros heterogêneos enlaçados, mas o modo sinthomático de enodamento.
          Leia mais...






Giulia Puntel
 
Miguel Antunes entrevista Ana Lúcia Lutterbach Holck 
Quais as incidências do discurso do mestre na clínica?

Assistir...











 Giulia Puntel


Conexões: Instituto Raul Soares – FHEMIG


Elaine Maciel


Conexões: Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais - CMMG


Cristiana Cardoso Pittella

Leia mais...










Giulia Puntel




OUTUBRO

DIA 10 - Horário: 8h

Conexão com Centro Mineiro de Toxicomania (CMT)

Apresentação: A musa está onde o poeta encontra, por Marina Melo
Comentário e apresentação da XXII Jornadas EBP-MG: Graciela Bessa (EBP/AMP)
Coordenação: Maria Wilma Santos de Faria (EBP/AMP)
Local: Alameda Ezequiel Dias, 365, Santa Efigênia – Belo Horizonte.



Dias 19 e 20 de outubro.

XXII Jornada da Escola Brasileira de Psicanálise – Seção Minas
O inconsciente e o mestra contemporâneo – O que pode a transferência de trabalho?

Convidada: Christiane Alberti (AMP/ECF)
Coordenação: Laura Rubião (membro da EBP/AMP)
Diretora de Orientação: Simone Souto


Local: Hotel Mercure