Enxame #5











35mm e linha – Luiza Therezo




Editorial
Laura Rubião

O boletim Enxame chega à sua 5ª edição, trazendo novos e importantes desdobramentos sobre o tema da XXII Jornada da EBP-MG: O inconsciente e o mestre contemporâneo: o que pode a transferência?



Leia mais...








35mm e linha – Luiza Therezo


Sujeito suposto saber ler de outra forma

Esthela Solano-Soarez

O sujeito suposto saber como pivô da experiência analítica articula, segundo Lacan, “tudo o que acontece com a transferência”. O sujeito não é suposto por outro sujeito, mas por um significante que o represente para outro significante, precisa Lacan, com vistas a “desenlamear o sujeito do subjetivo”. A experiência analítica levada a seu termo conduz à destituição subjetiva, em que “revela-se o inessencial do sujeito suposto saber”.


35mm e linha – Luiza Therezo




“Ethos trolling”, fake news e capitalismo
Maria Rita Guimarães

No jornal N.Y Times encontramos a expressão “ethos trolling” como definição do momento atual. Certamente, vivemos em uma época mutante, na qual se movimentam, erraticamente, os acontecimentos sociais e políticos no mundo globalizado da era digital. Podemos nos perguntar se, partindo de um veículo informativo como NYT, “Ethos trolling” não advém de uma precipitação, de uma apropriação de um significante, para que a perplexidade reinante ganhe uma significação. 







AJUDA CONTRA[1]

Jacques-Alain Miller



Então, por que vem você, Jacques-Alain Miller, nos pedir que saiamos da caixa? Note-se que Lacan toma a mão de Joyce precisamente aqui. Assim começa: Lacan toma a mão de Joyce como Dante toma a de Virgílio para visitar o inferno, o purgatório e o paraíso. Acontece que, dada a torção necessária, faz falta uma guia, uma ajuda. Eis aqui algo que não aparece mais que uma ou duas vezes no seminário O sinthoma: o tema da ajuda. O que significa isso? Que ajuda?



 35mm e linha – Luiza Therezo

 
Ludmilla Féres Faria entrevista Gustavo Dessal
Qual a incidência da prática analítica do Um só?

O que a histeria hoje nos ensina sobre o sintoma
Cristiana Pittella, Ernesto Anzalone, Fernando Casula, Graciela Bessa, Helenice de Castro, Juliana Meirelles Motta, Simone Souto (relatora)

A histeria hoje: uma estrutura órfã do nome do pai?
Ao tomarmos como referência os eixos temáticos do ENAPOL, pareceu-nos curioso a histeria, que, no tempo de Freud, demonstrou a importância da presença do pai na formação dos sintomas, aparecer, na atualidade, definida como uma “estrutura órfã do nome do pai”. Assim, primeiramente, consideramos importante definirmos essa orfandade. A expressão “órfão do pai” ajuda-nos a situar melhor a histeria nesse contexto: órfão do pai não é aquele que nunca teve pai, mas aquele que teve um pai e o perdeu.








 35mm e linha – Luiza Therezo


SETEMBRO
Dia 13 - Horário: 20:30
6º Seminário Preparatório da XXII Jornada EBP-MG
INTERPRETAÇÃO: A HERESIA DO ANALISTA
Sérgio Laia (AE, membro da EBP/ AMP)
Coordenação: Elisa Alvarenga (AME, membro da EBP/AMP)
Local EBP/MG 

DIA 28 - Horário: 10:00
Conexão com as Medidas Socioeducativas de meio aberto da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte
Apresentação: Qual tratamento possível para a violência?, por Pâmela Benevides
Comentário e apresentação da XXII Jornadas EBP-MG: Ludmilla Féres Faria (EBP/AMP)
Coordenação e notas para o Boletim Enxame: Elaine Maciel
Local: Auditório da UNA João Pinheiro, à Avenida João Pinheiro, 515, Centro – BH.